Conheça o primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris

Conheça o primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris

Uma parceria entre o escritório TVK e o estúdio de paisagismo OLM deu vida ao primeiro bairro zero emissão de carbono da França. A seguir, confira detalhes sobre esse incrível projeto que torna a “Cidade Luz” ainda mais sustentável!

L’îlot fertile: um jardim aberto no coração de Paris

O projeto L’îlot fertile (traduzido como “a ilha fértil”) é a mais nova e surpreendente criação do TVK, escritório parisiense de arquitetura e urbanismo. Situado no 19º arrondissement (zona urbana da cidade), o complexo simboliza mais um passo de Paris rumo a um futuro inovador e mais sustentável, onde natureza e espaço urbano convivem em harmonia.

A construção decorre do concurso Reinventando Paris e propõe uma nova topografia que integra um amplo jardim. Em um terreno com 35.200 m², o projeto acomoda quatro edifícios compactos com distintas funcionalidades e formas únicas e terraços de aproximadamente 1.500 m².

No local, destacam-se espaços que abrangem árvores frutíferas e hortas com boa incidência de luz natural. Assim, o L’îlot fertile tornou-se um jardim aberto no coração da cidade, convidando os habitantes a uma relação mais próxima com a natureza. O projeto também assume um compromisso sustentável ao ser reconhecido como o primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris.

Leia mais: O futuro da construção pilares dos edifícios Net Zero

O primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris

No L’îlot fertile, um conjunto de inovações garantiu a emissão zero de carbono, tais como: uma rede com tecnologias inteligentes, equipamentos de última geração, energia renovável e compromisso coletivo. Como uma solução perante as mudanças climáticas, o projeto pretende alcançar um consumo energético quatro vezes menor que as construções convencionais.

No complexo, isso será conquistado através de estratégias bioclimáticas, uma rede elétrica inteligente entre os edifícios, um sistema de recirculação de água e mais de 1000 m² de painéis fotovoltaicos, com rigoroso controle da pegada de carbono. Ainda, coberturas biossolares e áreas vegetadas irão aliar a produção de energia limpa à preservação da biodiversidade.

Outra proposta do L’îlot fertile para alcançar a meta de carbono zero é o uso de 10 mil m² de pedras locais e de concreto com baixo teor de carbono, para contribuir na queda de emissões. Além disso, a maioria dos materiais usados na construção foram reutilizados, assim como os resíduos gerados pelas obras.

No projeto, 3.800 m² da área são compostos por espaços verdes, pomares, hortas e uma vegetação que confere proteção natural contra ruídos, ventos e poluição. A cobertura verde mantém a biodiversidade local com uma flora variada e caixas-ninhos dispostas para insetos e aves.

Detalhes do projeto

O L’îlot fertile se diferencia, também, pela multifuncionalidade de seus edifícios. Criando uma comunidade dinâmica, o complexo abriga 118 alojamentos, uma residência para estudantes com 164 unidades, um albergue, um hotel, um alojamento para jovens trabalhadores com 159 unidades, lojas, escritórios, uma incubadora e uma horta comunitária.

O térreo abrange espaços com largas coberturas de vidro, dedicados a atividades compartilhadas. O vidro aumenta a permeabilidade visual, expande as interações entre interior e exterior e favorece os momentos de troca entre os usuários.

Conheça o primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris
Imagem: Projeto L’îlot Fertile

Jardim central

No projeto, o jardim central é tido como um elemento-chave que enriquece o entorno dos edifícios, criando jogos de luz e vistas deslumbrantes. Com uma atmosfera agradável, o jardim suspenso forma um espaço contínuo, ensolarado e bem cultivado. Nele, as chamadas “paisagens comestíveis” de hortas e pomares propõem uma melhor qualidade de vida para a comunidade.

O jardim do L’îlot fertile se destaca, acima de tudo, como um grande modelo de ecologia urbana. Isso porque o projeto promove educação ambiental, oferece estrutura a pedestres e ciclistas e estimula a saúde nutricional, a partir das vinte árvores frutíferas e da horta, aproveitando o potencial natural da região.

O edifício mais sustentável do mundo é Zero Carbon

No Brasil, a Galeria Laguna foi eleita o edifício mais sustentável do mundo pelo USGBC. Um dos diferenciais do espaço é a certificação LEED Zero Carbon, que irá atestar que o espaço possui emissão líquida de carbono equivalente a zero.

Para isso, a Galeria Laguna recorre a soluções como um sistema automático de renovação de ar, que filtra o ar interno, mantém sua qualidade e controla a concentração de CO2 no ambiente.

Um dos espaços de destaque da Galeria Laguna é o painel DNA Laguna. Nele, é possível acompanhar em tempo real o monitoramento da qualidade do ar do edifício, bem como as práticas sustentáveis da Laguna e detalhes das certificações LEED Zero.

Além do selo zero carbono, a Galeria Laguna será reconhecida pelas certificações LEED Zero Energy, Zero Water e Zero Waste. Elas irão atestar, respectivamente: saldo energético e saldo de consumo de água potável igual a zero no período de um ano e práticas de lixo zero – pelas quais quase todo o resíduo gerado no local é reciclado ou compostado.

Conheça o primeiro bairro zero emissão de carbono de Paris
O edifício será certificado com os selos Zero Water, Waste, Carbon e Energy | Galeria Laguna

Ainda a respeito dos resíduos, recentemente a Galeria Laguna recebeu a certificação TRUE (Total Resource Use and Efficiency) nível Platinum, atestando o cumprimento das metas de redução dos resíduos sólidos no local. Conheça o edifício mais sustentável do mundo na Av. do Batel, 1713! O espaço recebe clientes e visitantes de segunda a sábado, das 9h às 20h, e aos domingos, das 10h às 17h. Aguardamos a sua visita!

Desde 1996, a Construtora e Incorporadora Laguna vem desenvolvendo empreendimentos únicos, que possuem arquitetura diferenciada e design inovador. Além disso, somos a construtora com mais projetos sustentáveis do Sul do país. Saiba mais

Conheça mais sobre a Laguna

Deixar um comentário